Ir para o conteúdo principal

Edição sexta-feira , 13 de julho de 2018.
http://marcoadvogado.com.br/images/mab_123_13.jpg

Quase tomates esfregados na cabeça de Gilmar Mendes!



 Tomates e tomatadas

O ministro Gilmar Mendes, do STF, escapou ontem (20) de ter tomates esfregados em sua cabeça, durante um evento em São Paulo, organizado pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Ele deveria ter feito a abertura de um encontro sobre a reforma política, às 9h., mas não conseguiu chegar com pontualidade, porque o fechamento do aeroporto Santos Dumont, no Rio, forçou cancelamentos e atrasos de vários voos, entre os quais um em que o ministro seria passageiro.

Entrementes, pacientemente, um empresário sentado na primeira fileira da plateia carregava tomates nos bolsos que eram destinados ao ministro Gilmar. Flagrado a tempo por um segurança, o manifestante admitiu a planejada (e frustrada) tentativa e foi forçado a se retirar – afinal nenhum crime cometera e o evento era aberto ao público.

Quando Mendes chegou por volta das 11h, um grupo de mulheres reclamava dos habeas corpus que têm sido concedidos pelo ministro. Usando narizes de palhaças, chegaram a vaiá-lo durante a palestra, portando apenas cartazes pedindo “faxina geral”.

A propósito, 763 mil brasileiros já assinaram, na internet, pedido para que Gilmar seja afastado dos julgamentos das ações penais que envolvem políticos e empresários envolvidos com o propinoduto. A plataforma de abaixo-assinados está disponível em www.change.org . A meta é colher um milhão de adesões.

 Intimação obrigatória do recorrido

A intimação para a resposta ao recurso interposto é condição necessária para a validade da decisão monocrática que prejudica o agravado. Decisão nesta linha é do ministro Luis Felipe Salomão, em caso julgado sob a égide do CPC de 1973. O caso é oriundo de Minas Gerais.

A autora do recurso ordinário em mandado de segurança demonstrou que o TJ-MG proferiu acórdão deferindo antecipação de tutela para determinar a desocupação do imóvel no qual vive a recorrente, sem que houvesse prévia intimação dela para se manifestar, nos autos do agravo de instrumento interposto pela parte autora, sobre o pedido de antecipação de tutela.

O ministro Luis Felipe Salomão levou em consideração os princípios do contraditório e da ampla defesa. “Assim, a intimação do recorrido para apresentar contrarrazões é o procedimento natural previsto em qualquer recurso, inclusive no agravo de instrumento”.

O julgado superior assinala que “só é possível a dispensa quando o magistrado negar seguimento ao agravo, já que a decisão beneficia a parte agravada”.

Salomão arrematou que “a intimação para a resposta é condição de validade da decisão monocrática que prejudica o agravado, ou seja, quando o relator acolhe o recurso, dando-lhe provimento (art. 557, § 1º-A).”

O ministro, assim, deu provimento ao recurso ordinário, para conceder a segurança, reconhecendo a nulidade do ato judicial impugnado. A recorrente deverá ser intimada para a apresentação de contraminuta antes do reexame do agravo de instrumento interposto pelos autores da ação de imissão na posse do bem imóvel. (RMS nº 51.958).

 

 Adultério arranhado

A “rádio-corredor” da OAB do Paraná aqueceu o frio curitibano, ontem (16), com pitadas calientes sobre uma das muitas delações premiadas ainda mantidas em segredo oficial pelos procuradores da Lava Jato.

Trata-se do caso de um operador de propinas que confirmou seu romance com uma parlamentar federal que é...casada.

As viagens ao exterior eram bancadas com recursos públicos, e/ou do propinoduto. O oblíquo casal temporário teve também brigas e arranhões causados por recíproco “ciúme doentio”

  Direito ao esquecimento

Num caso que já tramita no STJ desde 28 de novembro de 2013, a 3ª Turma da corte analisa hoje (22) um caso de direito ao esquecimento na internet. A promotora de justiça carioca Denise Pieri Nunes demanda no Judiciário contra o Google Brasil. Quer ver retirado seu nome da web nas notícias e listas vinculadas a uma fraude em um concurso para a magistratura em que ela sequer foi aprovada. Apenas participava do certame.

Decisão anterior do TJ do Rio determinou ao Google que o filtro seja feito, mas houve recursos.

O debate avança no Brasil, em diversas fontes do Judiciário, com decisões contraditórias. A novidade de argumentos sustentada, agora aqui no país, é a regulamentação ocorrida em 2016 no Parlamento Europeu que permite ao internauta solicitar a retirada de informações a seu respeito, diretamente ao Google. (AResp nº 443431).


Comentários

Alex Jung Alex Jung - Advogado 22.08.17 | 10:52:16

Então, ministro Gilmar Mendes, em uma segunda-feira, abrindo evento em São Paulo... Por isso que os inquéritos e processos no STF não andam. Ficam parados até a prescrição! Por isso, também, que os políticos adoram ser investigados e/ou processados pelo Supremo. Quase certeza de impunidade!

Jose Mario De Boni - Advogado 22.08.17 | 10:34:38

O Direito ao Esquecimento é uma arma na mão de criminosos e de pessoas que querem esconder o passado. A partir daí estaremos apagando a nossa história, esquecendo a escravidão, esquecendo a ditadura. Teremos familiares de assassinos cruéis pedindo para apagar os fatos do pai, do filho, do irmão. Isso para não falar da turma pode do congresso, cerca de 500 ou 600 deles...

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Reflexos e rescaldos de um plantão controvertido

• AJUFE não defenderá Favreto se ele for denunciado por prevaricação. Na eventual ação penal cabem transação penal e suspensão condicional da pena.

 Das redes sociais: “Outrora atribuída a advogados desqualificados, nosso país acaba de criar a figura do desembargador de porta de cadeia”.

 O “tríplice milagre” realizado por Lula.

•  “Rádio-corredor” forense anuncia candidato de oposição às eleições da OAB-RS. Mas o objetivo é 2021.

O polêmico desempenho do desembargador Favreto, no controvertido plantão do TRF-4

• O Espaço Vital pediu a opinião de 20 advogados sobre a confusão jurídica do domingo. Entre as respostas, veio à baila o ensaio da Grécia antiga: “Ne sutor ultra crepidam”.

 Google vence Xuxa definitivamente. Insucesso da ação que buscava a remoção de imagens e links a quem digitasse, no mecanismo de buscas, o nome da apresentadora e “pedófila”.

 Clamor feminista pretende que a OAB passe a chamar-se Ordem da Advocacia do Brasil. Sonho que fica para 2019 ou 2020.

• Só uma seccional estadual da OAB tem, atualmente, mais advogadas do que advogados.

 Mas as estagiárias já são maioria, na estatística nacional.

Salvo surpresas, Gilmar Mendes fica no STF até 30.12.2030

 Facchin indefere o pedido para que o Senado analise o impeachment do ministro colega. E a PGR não vai recorrer.

 Novo round no julgamento do caso que gerou a acusação de suposta corrupção no TJ de Santa Catarina: ontem, o voto- vista do vogal.

 Advogado gaúcho analisa supremas incoerências recentes do STF

Indenização para Luciano Huck por uso indevido de seu nome em lançamento imobiliário

 Decisão do STJ confirma a condenação da Cipesa, construtora de luxuoso empreendimento residencial em São Paulo, mas isenta a imobiliária que fez a comercialização.

 Conselho Seccional da OAB-RS exclui mais três advogados.

 A internacional Environment Justice Atlas aponta conflitos socioambientais em três casos no RS: um deles é a demora da Justiça gaúcha em decidir o caso do atropelamento coletivo de 17 ciclistas.

 Os gols financeiros que os planos de saúde festejam durante a Copa do Mundo.

O “auxílio-malhação” não chegou a colocar juízes e desembargadores em forma...

• CNJ breca funcionamento de academia judicial, exclusiva para magistrados e familiares, paga com dinheiro público.

 No STF, “rádio-corredor” aponta a Suprema Trinca. E quem são os integrantes da “câmara de gás”? Por que uma Turma é chamada de “jardim do Éden”?

 49% dos brasileiros dizem não saber o que significa uma pessoa transgênero.

 Abuso na Câmara: em três anos, R$ 9,9 milhões de gastos com jatinhos e helicópteros.