Ir para o conteúdo principal

Sexta-Feira, 22 de Dezembro de 2017
http://marcoadvogado.com.br/images/mab_123_11.jpg

Preparem-se! O Brasil poderá ter até 103 partidos políticos



Mais e mais partidos

Ganha fôlego em Brasília a proliferação de legendas. Entrementes, a fixação de uma cláusula de barreira para restringir o acesso de partidos a recursos públicos e a tempo político na tevê é asfixiada na Câmara, O Brasil já tem 35 partidos e, ainda em setembro, pode ser ungido o 36º, chamado de Muda Brasil. A agremiação é costurada, nos bastidores, pelo deputado Valdemar Costa Neto, condenado no mensalão e principal dirigente do PR.

Há ainda 67 outras legendas em formação, na fase de coleta de assinaturas, o que pode elevar o número para 103, se todos obtiverem o apoio de 486 mil eleitores, como estabelece a legislação.

Na lista há partidos com viés ideológicos, como o Raiz, da deputada Luiza Erundina (PSOL-SP). E outros que se propõem a representar setores específicos: Partido Militar Brasileiro, Partido das Favelas, Partido do Esporte, Partido Indígena e o pitoresco Partido Nacional Corinthiano.

Sobre esses possíveis 67 novos partidos, o atual deputado federal Ronaldo Fonseca (PROS-DF) tem uma tirada pífia: “Cria-se partido novo porque os que existem não prestam. Numa democracia, a quantidade não é o problema, O que falta é qualidade. O nosso será republicano, cristão e conservador”.

No seu currículo, Ronaldo tem um item pouco abonador: foi o deputado que se notabilizou por dar parecer favorável a Eduardo Cunha na CCJ, quando desencadeado o processo de cassação do então presidente da Câmara.

O projeto presidencial de Eduardo Cunha

Nesta semana, o doleiro Lúcio Funaro – preso desde 1º de julho de 2016 - será interrogado por um juiz auxiliar do STF. É etapa apenas protocolar para que ele confirme se fez a delação por livre vontade, ou se sofreu coação.

A “rádio-corredor” da OAB do Paraná, por onde circulam muitos segredos da Lava Jato, já informou ontem (4) que Funaro fez pagamentos a pelo menos 18 políticos da base governista na Câmara.

Na conjunção, Eduardo Cunha indicava onde Funaro buscaria o dinheiro e para quem os subornos deviam ser repassados. A grana foi tanta que o próprio Funaro faturou – fora os ´pfs´... - R$ 40 milhões, que se compromete agora a repatriar para a União.

A compra de parlamentares fazia parte do projeto político de Cunha. Depois de passar pela liderança do PMDB, ele chegou à presidência da Câmara e, a partir daí, sonhou com a Presidência da República. O projeto desmoronou depois da descoberta da conta de off shore em nome dele na Suíça e do festival de gastos de madame Claudia.

A propósito, diz-se em Brasília que uma historinha redigida pelo futuro escritor Rodrigo Janot, em seu primeiro livro, vai centrar-se justamente em Eduardo Cunha.

Vai contar que o outrora temível deputado era (e ainda se acha...) “capaz de dar nós não só em gotas d´agua, como também em pingos de éter, antes da evaporação”.

 Perda de objeto

O recurso de Michel Temer contra a decisão do ministro Edson Fachin, do STF, que rejeitou o pedido de suspeição de Rodrigo Janot – este, em final de mandato como procurador-geral da República, restando-lhe 13 dias – pode ser comparado àquela flechada que nunca vai chegar ao alvo.

É que o pedido será levado ao plenário do Supremo, seguindo os prazos processuais específicos.

Assim, quando a matéria for para julgamento dos ministros, Janot já terá deixado o cargo (18 de setembro).

Será decidido, então, que “a questão perdeu o objeto” – uma expressão muito conhecida entre os operadores jurídicos.

Elas em expansão     

Engenharia Civil, Direito e Medicina são as três carreiras mais bem remuneradas e têm – segundo o Ministério do Trabalho – cada vez mais mulheres. Um levantamento da consultoria IDados mostra, simultaneamente, que nos últimos dez anos elas se tornaram maioria no curso de Direito. Eram 49% dos alunos em 2005; hoje elas são 55%.

Nas aulas, no mesmo período, as futuras engenheiras passaram de 21% para 30%. E na Medicina a ampliação passou de 50% para 57%.


Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Depois de 17 anos, o nocaute de Paulo Maluf

 Entre o início da investigação (1990) sobre o desvio de recursos da obra da Avenida Roberto Marinho, em São Paulo (SP) - e a ordem de prisão expedida na última terça-feira (19) pelo Supremo - passaram-se 6.200 dias.
 Duas ações penais para atravancar (ainda mais) o STF: uma sobre virgindade; a outra sobre vagabundagem.
 PT instrui militantes sobre “maneira educada” de entupir as caixas de e-mails do TRF-4.
 Um reencontro em fevereiro: equipe do Espaço Vital entra em férias.

“Extras” garantem a 71% dos juízes ganhos habituais acima do teto

• O Estado gaúcho é o oitavo melhor pagador da magistratura, na relação de 26 Estados pesquisados.
• As benesses começaram com a Loman, assegurando uma “ajuda de custo, para moradia, nas comarcas em que não houver residência oficial para juiz, exceto nas capitais”.
• Ex-presidente do STF, Carlos Ayres Britto, diz que há uma “claraboia” nesse teto.
• Direito de pergunta: por que professores e PMs não recebem “auxílio-moradia”?

Brasileira estudante de Direito faz aborto na Colômbia

• O dilema da mãe de dois meninos – e com nova gestação avançando – enquanto a Justiça brasileira não decidia.
Rebeca Mendes Silva (foto) teve apoio da ONG Consórcio Latinoamericano contra o Aborto Inseguro.
• A próxima decisão do STF sobre a prisão, ou não, logo após a condenação de segunda instância.
• Sérgio Cabral: pastor de igreja, ou ladrão? Qual os leitores preferem?
• Procuram-se políticos honestos para uma festa do amigo secreto, em Brasília.

Natal generoso para várias dezenas de magistrados gaúchos

•TJRS está pagando novas “diferenças residuais da transição da URV”, cuja conta já custou ao Estado mais de R$ 1,4 bilhão.
• Decisão da Justiça de SC mantém o pagamento do imposto sindical.
• Universitários (as) e estagiários (as) cuidem-se! Entre eles, 12% nunca usam, nem exigem, a camisinha.
• Dois desembargadores do TRT-RS habilitados à vaga de ministro do TST.

Março ou abril: as datas em que Lula poderá ser condenado ou absolvido pelo TRF-4

• Voto pronto já saiu do gabinete de Gebran Neto e agora está, criptografado, no notebook de Leandro Paulsen.
• Lembram daquela história do “usufruto financeiro” de Eduardo Cunha? Vai custar a ele R$ 3,8 milhões de multa.
• O silêncio domina, dez meses e meio de depois da morte de Teori Zawascki.
• Mudança na jurisprudência da ação de cobrança de quotas condominiais.