Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 21 de setembro de 2018.
http://marcoadvogado.com.br/images/mab_123_13.jpg

Assédio moral de jogadores do Inter contra historiadora do clube



Não dar bola”...

O Sport Club Internacional de Porto Alegre indenizará uma historiadora, que foi vítima de assédio moral praticado por jogadores das categorias de base do clube. A cifra é modesta: R$ 5 mil. O TST rejeitou o recurso do clube contra a condenação imposta pelo TRT gaúcho.

A historiadora trabalhou no museu do clube durante três anos e pediu demissão por considerar “insustentável” o tratamento que recebia dos jogadores das categorias de base.

Eles constantemente se referiam a ela como “gostosa”, “cheirosa”, “linda”. E por aí...

Em juízo, ela afirmou que comunicou o fato à sua superior hierárquica, que teria dito para “não dar bola”, e que nada poderia fazer, pois os atletas de base “tinham muito prestígio com a direção do clube”. (Proc. nº 0021089-40.2014.5.04.0006).

Rezem os dois!

As delações de oito executivos da OAS – que chegaram ao STF na sexta passada – têm chumbo grosso e quente contra Lula e Aécio.

Segundo vaticínio da “rádio-corredor” da OAB de Brasília, os dois vão ficar “de joelhos no ringue jurídico”.

Rei na vida real

Está decidido um dos dois embriões do filme a ser rodado sobre a vida de Roberto Carlos: a admissão, pelo artista, da amputação de parte de sua perna direita, aos seis anos de idade, no Espírito Santo.

Outro componente também está definido: o filme terá sutis cenas de sexo.

Os grandes assaltos

Na lista dos dez maiores assaltos da história, em todo o mundo, o Brasil infelizmente tem destaque. Até agosto detínhamos apenas o 2º lugar, com os US$ 76,8 milhões levados do Banco Central em Fortaleza, em 2005.

Mas a descoberta feita pela Polícia Federal no “bunker” de Geddel Vieira Lima aumentou, a partir de 5 de setembro, a presença brasileira no rol dos inglórios: a fortuna achada na “gruta do Ali Baba baiano”, em Salvador (BA), equivalente a US$ 16 milhões, está no 7º lugar no ranking global.

Imbatível há 30 anos, o maior roubo da história ocorreu em Londres, em 12 de julho de 1987: dois homens (que não eram políticos...) entraram num depósito de dinheiro com a desculpa de alugar um cofre. Ninguém reparou que eles estavam armados com pistolas, com o que ficou fácil dominar o gerente e os seguranças, levando US$ 112,9 milhões.

Para evitar incômodos durante o assalto, os larápios penduraram placas: “Depósito fechado temporariamente”.

Pelas impressões digitais, a polícia chegou ao cabeça do crime: o italiano Valerio Viccei. Após quatro anos preso, Viccei foi transferido para a Itália, onde cumpriu prisão em regime semiaberto até sua morte, em 2000.


Comentários

Vilson Roberto Schott - Aposentado 19.09.17 | 10:39:13

Imaginem o Brasil com 103 partidos politicos; assim ja é uma baderna , já não chega a confusão que está. Se isto acontecer será o reino da corrupção.

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Mais 24 anos e dois meses de poder para Toffoli

 Se não quiser, antes, se aposentar voluntariamente, o atual presidente do STF será ministro até 14 de novembro de 2042, véspera de seu 75º aniversário.

 O atual decano Celso de Mello pode chegar a 30 anos, um mês e 22 dias em atividade na Suprema Corte.

 Presidente do BNDES admite que “foi um erro o banco ter concedido empréstimos para exportações a países como Cuba e Venezuela”.

 Uma ação do Botafogo cobra, no Rio, R$ 50 milhões do ex-presidente Maurício Assumpção por má gestão.

 No RS não se fala mais na devassa das contas do ex-presidente do Inter.

Política irracional brasileira: Congresso prepara a criação de 400 novos municípios

 O jeitinho de políticos locais na criação dos próprios distritos eleitorais: 400 novos cargos de prefeito, outro tanto de vice-prefeitos, no mínimo 2.000 secretários e 3.600 vereadores. Mais os assessores e os penduricalhos.

 No STJ, uma ação da Apple contra a Gradiente, discutindo o direito do uso da marca iPhone no Brasil.

 A desvantagem de ser condenado por corrupção e a vantagem de receber uma pena por “caixa 2”.

O Grêmio Porto-Alegrense entra para o seleto grupo de “três clubes brasileiros que alcançaram o equilíbrio financeiro”.

Fraudes para ressuscitar prazos processuais perdidos

 O esquema lesou um banco, várias agências dos Correios e a prestação jurisdicional.

• Depois da condenação pelo TRF-4, Lula ingressou com 17 recursos. Um a cada 13 dias.

 Como a Justiça dos EUA trata advogados que defendem criminosos.

 Crise na Argentina derruba a fabricante dos incomparáveis sorvetes Freddo.

União pagará transplante quádruplo de criança brasileira nos EUA

• Menino de três anos precisa receber novos estômago, intestino, baço e fígado para sobreviver a uma síndrome rara. No Brasil, esse tipo de cirurgia é feito somente em adultos.

• Cármen Lúcia arquiva os pedidos de suspeição e impedimento contra Gilmar Mendes.

• Mudança na jurisprudência trabalhista. Decisão do TST concede adicional de insalubridade a camareira de hotel.

Olho vivo em suposta pesquisa sobre as eleições da Ordem gaúcha!

E-mail maroto - que se “identifica” como OabRsEleição2018 – pede a participação de advogados.

Senado aprova projeto de lei que extingue o reconhecimento de assinaturas e a autenticação de documentos.

Ex-sócio da Empiricus, preso pelo FBI, também lesou o grupo Zaffari (RS). Enquadramento penal prevê reclusão que pode chegar a 70 anos.

Afinal, o que é “empírico”?...

Afinal, Ronaldo Fenômeno rende-se à Justiça e paga indenização (R$ 100 mil) a jornalista gaúcho

  Origem da ação remonta a uma “folgazã folgada da folia”, em boate da Coréia do Sul, durante a Copa de 2002, quando José Aveline Neto tentava clicar Ronaldinho Gaúcho dançando no colo de acompanhantes.

  Mais futebol: uma ação de universidade paulista contra a CBF. Tite, por seu desempenho como “garoto propaganda”, é o pivô da controvérsia.

  Uma indenização de R$ 21 milhões para o Icasa (clube do Ceará) que não subiu para a Série A por causa de um erro da CBF.

  E o “futebol jurídico-político” que alcança o ex-prefeito de Osório Romildo Bolzan Júnior, atual presidente do Grêmio. Condenação em ação civil pública fica próxima dos R$ 4,5 milhões.