Ir para o conteúdo principal

Edição antecipada 21-22 de junho de 2018.

Escritórios de advocacia não pagam anuidade à OAB



Escritórios de advocacia não devem pagar anuidade à OAB. A decisão é do juiz José Carlos Motta, da 19ª Vara Federal de SP, ao considerar que “a exigência do pagamento de anuidade pela sociedade de advogados é ilegal”.

O magistrado deferiu liminar em mandado de segurança impetrado pelo escritório Franco, Toledo & Veiga Sociedade de Advogados e suspendeu a exigibilidade da contribuição especial de sociedades perante a Ordem.

Para o juiz, “apesar de ser de competência da OAB fixar e cobrar, de seus inscritos, contribuições, preços de serviços e multas, a Lei nº 8.906/94 trata do registro das sociedades de advogados como ato que confere personalidade jurídica a elas, não podendo ser confundido com o registro de advogados e estagiários, uma vez que possuem fundamento e finalidade diversa, e que a própria lei não prevê a cobrança de anuidade para escritórios de advocacia”. (Proc. nº 5027813-32.2017.403.6100).


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Elogiáveis relações entre advogado e juiz

Verdades e gentilezas numa petição por esquecer de comparecer a uma audiência. E a distinção no despacho judicial:“Que o exemplo sirva às novas gerações de advogados!”.

TRT-RS reconhece a cobrança cumulativa de honorários contratuais e assistenciais

Julgado reverte sentença, em ação civil pública, que condenara dois advogados e um sindicato a pagarem reparação (R$ 100 mil) por dano moral coletivo e a cumprirem obrigações de fazer e obrigações de não fazer. Acórdão salienta que “se a lei não veda a possibilidade de cobrança de honorários contratuais, não compete ao Poder Judiciário determinar a proibição da pactuação livre e sem vícios”.