Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 22 de maio de 2018.
http://marcoadvogado.com.br/images/mab_123_13.jpg

Representação criminal da OAB contra a venda de carteiras de advogado



Camera Press

Imagem da Matéria

 Venda na internet de carteiras de advogados

Após tomar conhecimento de que um dos maiores saites de comércio eletrônico do País, o Mercado Livre, estaria abrigando anúncios de supostos registros para atuação profissional de advogadas e advogados, o Conselho Federal da OAB formalizou ontem (3) uma notitia criminis (representação criminal) junto à Superintendência Regional da Polícia Federal no Distrito Federal.

No documento, assinado pelo presidente Claudio Lamachia, o CF-OAB alega que “ainda que desconhecida a autoria da postagem e promessa de venda, é incontroverso que tal saite vem divulgando a possibilidade de compra da carteira de advogado, o que, em tese, configura a prática do crime de estelionato em face dos bacharéis em Direito que procuram os serviços oferecidos”.

A OAB reitera que o Exame de Ordem Unificado é obrigatório para todos os bacharéis em Ciências Jurídicas e Sociais que desejam exercer a atividade de advocacia, sendo imprescindível a aprovação no certame para a obtenção do registro junto ao órgão de classe.

Leia aqui a representação.

 Ostentação de adultério

Um homem - que deu ampla publicidade a uma relação extraconjugal que mantinha - indenizará a ex-esposa por danos morais. A decisão é da 7ª Turma Cível do TJ do Distrito Federal. A mulher afirmou que se divorciou em razão das constantes traições sofridas e do público relacionamento extraconjugal ostentado por ele.

Ela comprovou graves abalos emocionais e que teve uma gestação de risco (parto prematuro, com óbito do bebê) agravada por humilhações e aflições causadas pela divulgação do adultério.

As duas instâncias judiciais consideraram que “o fato de o homem ter mantido relacionamento fora da constância do casamento, por si só, não é causa suficiente para ocorrer a reparação”.

Mas sentença e acórdão cravaram: "A publicidade do relacionamento extraconjugal impôs à autora um vexame social e ensejou humilhação que extrapolou o limite do tolerável".

A indenização será modesta: R$ 5 mil. (Proc. em segredo de justiça).

 Ficção ou realidade?

A ficção vai acrescentar um personagem (“Dario Prudente”) à sina dos políticos nordestinos que perderam a vida no auge da carreira. Foram, sucessivamente, Agamenon Magalhães (PE), morto subitamente em 1952; Petrônio Portella (PI), vítima de ataque cardíaco em 1980; Luís Eduardo Magalhães (BA), também enfartado em 1998; e Eduardo Campos (PE), morto em acidente aéreo em 2014.

O tal de “Dario Prudente” é o protagonista de “Pecado Mortal”, cujos personagens acessórios são um padre, uma freira, um governador; o componente trágico é um duplo homicídio.

O livro escrito pelo jornalista Antonio Martins foi lançado ontem (3) em Brasília. O enredo pode ser resumido em uma frase e algumas reticências: “Governador de Pernambuco, Prudente é pré-candidato a presidente da República... até que uma bela freira aparece em seu caminho”...

Há quem diga que a ficção tem consistentes componentes de vida real.

 O impopular

Depois de ser vaiado e acossado em São Paulo, Michel Temer disse que “o Brasil precisa tomar critérios de educação cívica”.

Bonito, né?...

As premissas são outras, porém: o presidente da República não consegue sair solto dos palácios e acha que o problema é de quem está nas ruas.


Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

OAB-RS exclui mais dois advogados

 Estão defenestrados do exercício profissional 32 homens e 17 mulheres. Sociólogos talvez possam explicar porque os profissionais do gênero masculino são os mais punidos.

 Indulto para Lula, se Ciro Gomes for eleito presidente?

 Maior jornal de Londres elogia Sérgio Moro como “o homem que encerrou cinco séculos de impunidade no Brasil”.

OAB-RS suspende advogado por 180 dias

Ex-dono do Grupo Educacional Facinepe, Faustino da Rosa Júnior (OAB-RS nº 65.305) tem seu nome envolvido em irregularidades na oferta de cursos de pós-graduação. Ele (E) chegou a distribuir títulos de “Doutor Honoris Causas” a pessoas famosas como Silvio Santos

Jeitinho brasileiro para agradar magistrados e promotores

•  O auxílio-moradia – sem lei, mas com acordo a ser homologado no STF – vai ficar valendo para sempre. Fora do teto constitucional e sem pagar imposto de renda. Saiba como!

•  A Advocacia-Geral da União teria mudado de opinião. “Rádio-corredor” do CF-OAB diz que é a “moda Gilmar”.

• Suzana Richtofen matou os pais em 2002. Mesmo sem ter filhos, vai curtir uma “saidinha” pelo Dia das Mães, durante seis dias...

•  Juíza acolhe reclamação de advogado porto-alegrense: “o promotor tá loco”.

“Quem Ensinou Fui Eu”: cantoras mato-grossenses para descontrair evento nacional da magistratura

•  O encontro jurídico tem patrocínio de empresas e de associação que congrega 13 mil cartórios. Políticos também estarão presentes.

•  A ação penal decana – contra senador - que está no Supremo desde 1998.

•  A advertência de Roberto Barroso sobre o sistema penal brasileiro: “Ele é feito para recolher um menino pobre e não consegue prender essas pessoas que desviam por corrupção”.

Já são 1.086.011 advogados brasileiros registrados

•  Curiosidades na diversidade de gêneros na advocacia do país: 62 casos de travestis, transexuais e transgêneros usando seus nomes sociais em substituição ao nome civil. Destes, seis registros são no RS.

•  Entre os advogados dos maiores escritórios do Brasil, apenas 2% são negros.

• STJ define o lapso etário para indenizações de seguros em casos de suicídio.

•  E uma historinha sobre o primeiro 1º de Maio nas frias celas de Curitiba.