Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira, 22 de março de 2019.

Alínea 13, conta encerrada



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Meados de janeiro, o microempresário calçadista entrega a lojista da Capital duas dúzias de pares de sandálias femininas e recebe um cheque pós-datado: “Bom para 05.02.2018”.

Na data ajustada, a cártula é depositada e, dois dias depois, devolvida, com sombria observação: “Alínea 13: Conta encerrada”.

O lesado procura um acreditado advogado local (deste, o nome não vem ao caso) e, na visita, exibe o cheque que fora devolvido. Exato valor do iminente prejuízo: R$ 2.000,00.

O advogado sustenta previamente o valor de honorários contratuais antecipados: R$ 2.500. E logo justifica:

- Sou um ético seguidor da tabela da OAB.

O cliente rebate:

- Não há lógica em pagar mais ao advogado do que, como credor, me caberia no hipotético êxito da cobrança do cheque.

Ao que o causídico prontamente arremata:

- Tem a murrinha toda de ajuizar a ação, suportar a lerdeza processual, ir ao foro umas dez vezes, enfrentar o assessor e o estagiário. E, principalmente, o caro cliente estará pagando pelo gostinho de receber. Isso tem seu preço!...


Comentários

Aldo Ghisolfi - Advogado 05.03.18 | 19:28:15
O trabalho do advogado é o mesmo para cobrar R$ 2.000,00 ou R$ 200.000,00.
A opção é do cliente que contrata os serviços.
Eliel Valesio Karkles - Advogado 05.03.18 | 18:30:43
Absolutamente normal. Se o cheque fosse de R$ 100,00 o advogado deveria receber 20% (R$ 20,00) para cobrar? Existe um custo mínimo. Esta é a opção do credor. Poderia antes tentar protestar, SPC e SERASA, etc.
Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

   O Doutor Rei da Sinuca

 

O Doutor Rei da Sinuca

A surpresa, em cidade da fronteira gaúcha, quando o advogado - que tinha 99% de sucesso nos encaçapamentos das sete bolas coloridas – rompeu o namoro com a mulher mais ´in-te-res-san-te´ da comarca.

Gerson Kauer

Os dois exagerados

 

Os dois exagerados

Ao realizar a penhora sobre um cavalo (“o mais famoso reprodutor da fazenda”), o oficial de justiça espanta-se com a virilidade do equino, fotografa o animal excitado, e faz uma certidão exageradamente minuciosa. O juiz manda desentranhar a foto e que se risquem 17 palavras do relato oficial feito pelo servidor minucioso.

Gerson Kauer

Nádegas generosas

 

Nádegas generosas

A condenação da editora de uma revista erótica, por causa da legenda ao lado da foto mostrando quadris e rosto de veranista praiana: “Meus olhos são pra ver/ Meu nariz é pra cheirar/ Minha boca é pra comer/ Meu ouvido é pra escutar / Mas também tenho algo pra dar”.

Gerson Kauer

Mulher em caução!

 

Mulher em caução!

Astucioso, o homem sai do motel sem pagar a conta. Surge depois a inusitada ação contra uma mulher, 30 de idade, tentando “receber o valor de uma diária, jantar e bebidas e, cumulativamente, uma reparação financeira, mesmo que pequena, para punir a ré pela trapaça civil cometida”

Gerson Kauer

De grosso calibre

 

De grosso calibre

No prédio com vista para o Guaíba, em que atuam lidadores do direito, chega uma caixa com “uma coisa estranha” endereçada a uma das doutoras da casa. Seria um “bilau” de brinquedo? O decano deu a solução na reunião em que participaram as cabeças mais lúcidas da Casa: “Temos que rever nossos conceitos”.

Charge de Gerson Kauer

O namorado do juiz

 

O namorado do juiz

Na comarca de entrância intermediária, um dos juízes é gay. Seu então parceiro é um técnico em informática de uma grande empresa agro comercial. Afinados, os dois homossexuais têm apenas uma única grande diferença: a questão salarial. De repente, há um tombo financeiro.