Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 07 de dezembro de 2018.
https://marcoadvogado.com.br/images/mab_123_11.jpg

Depois da bagunça de Lula, como seria a prisão de Aécio?



Cartunista Kacio Pacheco - Kacio.art.br

Imagem da Matéria

Sem bagunça”...

A “rádio-corredor” do Conselho Federal da OAB irradiou ontem (9) rumores de que o diretório nacional do PSDB contratou estrategistas em marketing prisional. Objetivo: impedir que a bagunça da prisão do Lula se repita quando chegar a vez de Aécio Neves.

O departamento de contas a pagar do partido já teria estocado (ou liberado?) verbas para estender tapete vermelho, espumantes e vinhos franceses, chuva de pétalas de orquídeas e violinistas tocando “A Última Valsa”.

Não faltariam gotículas de cheiro bom. O perfume seria borrifado através de orifícios de uma mala dourada colocada no alto de uma escada Magirus, a bordo de um caminhão dos bombeiros.

Falta, porém, um prévio contato dos marqueteiros do PSDB com Madame Tartaruga Suprema. Só ela é quem sabe a data do futuro julgamento de Aécio pelo STF.

A bolsa de apostas está aberta. Tem gente arriscando o dia 1º de abril de 2019.

Recomeço de conversa

Ao longo de visita, sábado, que durou uma hora, Fernando Albrecht – o titular da página 3 (“Começo de Conversa”) do Jornal do Comércio – em casa, relatou ao editor do Espaço Vital como se recupera (muito bem!) das vicissitudes que enfrenta desde que, num rotineiro check up anual, descobriu que estava com câncer no reto.

Uma das preocupações de Albrecht - antes de se internar em 18 de março, para a cirurgia no Hospital São Francisco da Santa Casa - era saber o tamanho do buraco (literalmente) que abririam no seu abdome. “Não foi uma via expressa de seis pistas, mas apenas algo tal qual a pista única de uma moderna ciclovia” – diz Fernando, com o bom humor habitual.

Com o sorriso que vai retomando, ele prepara-se para o gradativo retorno à atividade jornalística, a partir da próxima semana. Em maio, quando puder caminhar livremente, fará algumas dezenas de visitas de agradecimentos. Elas começarão pelo incomparável cardiologista Fernando Lucchese e os minuciosos irmãos médicos Daniel Azambuja e Antonio Azambuja.

E incluem, entre outros, o sempre afável Alfredo Guilherme Englert, provedor da Santa Casa de Misericórdia. Mesmo aposentado como desembargador há 13 anos, Englert ainda é precioso contador de ricos e minuciosos causos forenses.

Refinanciamento de dívidas

Foi publicada ontem (9), no Diário Oficial da União, a norma que estabelece o Programa Especial de Regularização Tributária das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte optantes pelo Simples Nacional (Pert-SN) - mais conhecido como Refis de micro e pequenas empresas.

Com a Lei Complementar nº 162/2018, os pequenos empresários conseguirão parcelar, com descontos, débitos tributários vencidos até novembro de 2017. Os pedidos de renegociação devem ser feitos nos próximos 90 dias.

Do valor total da dívida, poderão ser deduzidos até 90% dos juros, 70% das multas e 100% dos encargos legais, desde que pelo menos 5% do montante sejam pagos em dinheiro sem nenhuma redução. O restante dos débitos poderá ser parcelado em até 15 anos. Detalhe: quem optar por quitá-los em menos tempo, terá ainda mais descontos.

O valor mínimo é de R$ 300 para as parcelas. A exceção é para os microempreendedores individuais, que ainda terão a quantia definida pelo Comitê Gestor do Simples Nacional.

Defecção jurídica

Em sua(s) primeira(s) semana(s) na prisão, Lula está com sua defesa temporariamente desfalcada. É que o advogado Roberto Teixeira - em função de uma cirurgia que fará amanhã - terá de acompanhar o caso à distância.

A recuperação dele prevê distância da umidade de Curitiba.


Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Futura ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos diz que homens e mulheres “não são iguais”

 Damares Alves (foto), anunciada como titular da pasta que será criada em janeiro, é advogada e pastora evangélica. Ela contou ter sofrido violência sexual aos 6 anos. É mãe adotiva de uma filha indígena.

 Um sutil puxão de orelhas dado pelo ministro Paulo de Tarso Sanseverino em dois advogados gaúchos.

 Políticos, esses grandes devedores da Fazenda Nacional...

 Férias pagas parcialmente antes do início do descanso motivam pagamento em dobro. Decisão é do TST.

Julgamento disciplinar de magistrados por suposto envolvimento em política partidária

  CNJ decide, no dia 11, os pedidos de providências contra o gaúcho Luiz Alberto de Vargas (TRT-RS) e outros nove magistrados.

  Vitória da situação advocatícia no RS consagrou uma frase: “A OAB não é partido político”.

  Supremos jeitinhos jurídicos para amenizar a corrupção: “É caixa 2”.

Moro prepara pacote de medidas de combate ao crime organizado

 Entre os pontos que serão analisados pelo Legislativo está a proibição da progressão de regime a presos que mantêm vínculos com organizações criminosas.

 Com o efeito cascata em todo o país, o aumento para o STF traz um impacto financeiro de 1 bilhão e 400 milhões de reais, ao ano.

 O supremo séquito e os balangandans: Toffoli levou seis assessores a encontro dos juízes federais em Buenos Aires.

A juíza federal Gabriela Hardt não toca flauta!

  Vídeo apresentando a magistrada federal da Lava Jato como música amadora é fake!

  Imagens e áudio – de boa qualidade - exibidos em grupos de WhatsApp confundem a magistrada com a flautista Gabriela Machado, do grupo Choronas, de Santos (SP).

  Socicredi não pode usar a marca Sicredi. Decisão é do TJRS.

 Atraso habitual de ônibus do empregador é computado como hora extra em favor de empregado.

  Caso grave de Mal de Parkinson: STJ condena Bradesco a fornecer home care, mesmo sem previsão no contrato.

Resolução do TRF-4 limita a competência dos desembargadores plantonistas

  Para evitar a repetição da lambança do “solta/prende” Lula, ocorrida em 8 de julho, o relator vinculado poderá intervir nas petições, ações e recursos encaminhados ao plantão.

  “Rádio-corredor” do tribunal diz que se trata da “Resolução Anti-Lula”.

 “Rádio-corredor” da OAB-RS prefere a troca de vocativo: “Operação Anti-Favreto”.

 Os riscos de uso político do CNJ: por quê Sérgio Moro antecipou o seu pedido de exoneração da magistratura.

 “O Brasil terá um governo militar eleito e a população precisa se aperceber disso” – uma frase às claras.

  Expectativa para dezembro: a sentença da juíza Gabriela Hardt julgando Lula.

A última de Brasília: Temer embaixador na Transilvânia

   A figura do vampiro é bastante presente no imaginário popular e no cinema. O “morto-vivo” está fartamente inserido na cultura política.

  Trocando seis por meia dúzia: depois do “auxílio-moradia”, a gestação do “acréscimo por tempo de serviço”.

  Dicionários on line incorporam a expressão “penduricalho”: equivale a balangandan.

   A diferença entre o salário mínimo e o rendimento médio do trabalhador brasileiro está cada vez MENOR. Mas o aumento para a magistratura está a caminho.