Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira, 22 de março de 2019.

O “Livro do Juiz”



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

O juiz é um cidadão circunspecto, eventualmente grave, que, às vezes, trata seus auxiliares com rispidez. A comarca em que, há quatro meses atua o “Doutor Inclemente” – chamemos assim - tem por sede uma cidade tipicamente interiorana, hábitos germânicos.

O operoso mas inculto oficial de justiça que serve o juiz observa que o meritíssimo nunca deixa de andar com um livro nas mãos, ou debaixo do braço. Inclusive nas ocasiões protocolares. A obra tem, na capa, letras graúdas: VADE MECUM.

Aquele título desconhecido deixa o servidor judicial intrigado. Por várias vezes, dispõe-se a perguntar o signi?cado daquelas duas palavras, mas a sisudez do magistrado deixa o oficial inibido. Até que, captando um momento raro de descontração, toma coragem e faz a pergunta direta: “Doutor, o que signi?ca ´Vade Mecum´”?

Tomado de surpresa, o magistrado empertiga-se e responde incisivamente: “Em latim jurisdicional significa O Livro do Juiz”.

O oficial de justiça não se dá por satisfeito e se põe a campo, na lenta internet do foro, pesquisando sobre “Vade Mecum”.

Na semana seguinte, convocado para acompanhar o meritíssimo em uma inspeção judicial, o servidor observa que o magistrado está, como sempre, com o livro às mãos. Aproveita, então, um momento, no trajeto feito em automóvel oficial, para ponderar, respeitosamente: “Penso, doutor, que o senhor tenha se equivocado ao me dizer que ´Vade Mecum´ é o livro do juiz”.

Como aparentemente o magistrado desdenhe a observação, o oficial de justiça abre a pasta e lê suas anotações: “Vade Mecum é uma denominação, conhecida desde o Século 15, para qualquer livro de referência de uso muito frequente e que instrui o leitor a fazer determinadas tarefas rotineiras. A origem é uma expressão latina que significa ´Vem Comigo´ ou ´Vai Comigo´, onde ´vade´ é ´vai´ em português, e mecum significa ´comigo´".

O oficial de justiça faz uma pausa e complementa: “Existem também Vade Mecuns sobre os domínios da doutrina social da Igreja, de pensamentos políticos, de doutrinas de segurança e até de defesa. E mais modernamente, tem outros formatos, em mídia eletrônica, como são o Vade Mecum para o iPhone, iPad, iPod touch, ou mesmo para aparelhos com o sistema Android”.

Fez-se então silêncio. Do dia seguinte em diante, nunca mais o juiz apareceu com o “Vade Mecum” às mãos. Passou a conduzir a Constituição Federal.

Não há controvérsias.


Comentários

Leônidas Nogueira De Souza - Advogado 26.06.18 | 10:25:33

Desde o momento em que descobri o Espaço Vital, e li os artigos publicados, abracei com todas as forças as suas publicações. Artigos sérios, muito interessantes e, por vezes, engraçados. Apreciei tanto, que, vez ou outra, distribuo entre amigos. Prossigam com esse desiderato!

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

   O Doutor Rei da Sinuca

 

O Doutor Rei da Sinuca

A surpresa, em cidade da fronteira gaúcha, quando o advogado - que tinha 99% de sucesso nos encaçapamentos das sete bolas coloridas – rompeu o namoro com a mulher mais ´in-te-res-san-te´ da comarca.

Gerson Kauer

Os dois exagerados

 

Os dois exagerados

Ao realizar a penhora sobre um cavalo (“o mais famoso reprodutor da fazenda”), o oficial de justiça espanta-se com a virilidade do equino, fotografa o animal excitado, e faz uma certidão exageradamente minuciosa. O juiz manda desentranhar a foto e que se risquem 17 palavras do relato oficial feito pelo servidor minucioso.

Gerson Kauer

Nádegas generosas

 

Nádegas generosas

A condenação da editora de uma revista erótica, por causa da legenda ao lado da foto mostrando quadris e rosto de veranista praiana: “Meus olhos são pra ver/ Meu nariz é pra cheirar/ Minha boca é pra comer/ Meu ouvido é pra escutar / Mas também tenho algo pra dar”.

Gerson Kauer

Mulher em caução!

 

Mulher em caução!

Astucioso, o homem sai do motel sem pagar a conta. Surge depois a inusitada ação contra uma mulher, 30 de idade, tentando “receber o valor de uma diária, jantar e bebidas e, cumulativamente, uma reparação financeira, mesmo que pequena, para punir a ré pela trapaça civil cometida”

Gerson Kauer

De grosso calibre

 

De grosso calibre

No prédio com vista para o Guaíba, em que atuam lidadores do direito, chega uma caixa com “uma coisa estranha” endereçada a uma das doutoras da casa. Seria um “bilau” de brinquedo? O decano deu a solução na reunião em que participaram as cabeças mais lúcidas da Casa: “Temos que rever nossos conceitos”.

Charge de Gerson Kauer

O namorado do juiz

 

O namorado do juiz

Na comarca de entrância intermediária, um dos juízes é gay. Seu então parceiro é um técnico em informática de uma grande empresa agro comercial. Afinados, os dois homossexuais têm apenas uma única grande diferença: a questão salarial. De repente, há um tombo financeiro.