Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 14 de junho de 2019.

Quando o suposto amor vira negócio



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

O Newton e a Jacilene, ele estudante de Filosofia, ela vendedora (nas horas vagas), estavam “ficando”. Tinham, se conhecido num bar da moda, mas a relação ainda não alcançara profundida intimidade. Numa sexta, os dois combinaram a ida a um motel. E foram! Presume-se que os objetivos tenham sido alcançados.

Na manhã de sábado, na hora de irem embora, o Newton embicou seu Ônix em direção à porta da garagem, passou direto pelo guichê do pagamento, engatou uma primeira, derrubou o portão e saiu desabalado sem acertar a conta. Pelas placas do carro foi possível localizar o cara-de-pau, contra quem o dono do motel logo ajuizou ação judicial.

O juiz abriu a audiência discorrendo sobre conceitos de bom-caratismo. E perguntou ao Newton se ele “não sentia vergonha pelo que fez”.

- Doutor, até agora estou encabulado, sou uma pessoa de bem, estudioso, nunca me envolvi com polícia e justiça... – o réu explicou discursivo.

O magistrado atalhou:

- Conte, então, o que aconteceu.

Olhando para baixo, o futuro filósofo relatou uma história comovente: “Eu pensava que estava começando a namorar a Jacilene. Na hora em que dei a partida no carro para sairmos do motel, ela me surpreendeu. Exigiu que, antes da saída, eu teria que acertar o cachê dela.

Fez-se silêncio na sala, mas logo o Newton arrematou: “Tive um acesso de fúria, sacudi a mulher, quase dei uma ´bolacha´ nela, acelerei o carro descontrolado, e fiz a bobagem que me trouxe aqui, pela primeira vez em um foro”.

O juiz aparentou compaixão. E o dono do motel, comovido, aceitou parcelar, em quatro vezes, o valor dos reparos e arrematou com uma benesse extra:

- A diária da suíte fica como cortesia da casa.

O acordo foi homologado. O Newton já pagou a primeira parcela. A Jacilene tem sido vista nos bares da vida de uma das grandes cidades gaúchas.

E filosoficamente não se fala mais nisso.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

“Senhores e senhoras, levantem-se!”

 

“Senhores e senhoras, levantem-se!”

Era o primeiro dia de audiências do novel juiz na comarca. Os advogados e as partes foram entrando na sala, sendo surpreendidos por chamativo aviso: “Em estrito respeito ao Juízo, todos deverão levantar-se no momento que o MM. Juiz adentrar a sala de audiências”. A severa escrivã também fazia a sua parte. Os advogados locais reagiram.

Charge de Gerson Kauer

Aparências enganam!

 

Aparências enganam!

Porta da frente, ou porta dos fundos? Dois dias depois das bodas, a surpresa: na comarca de entrância intermediária, Carlyson ajuizou ação de anulação do casamento contra a jovem esposa Jenifer. Ninguém imaginava o motivo. O experiente juiz logo entendeu tratar-se de “erro essencial quanto à pessoa”. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.

Gerson Kauer - Divulgação

A loteria da cantada

 

A loteria da cantada

Na casa lotérica, a novel operadora de caixa, percebeu já nos primeiros dias de trabalho, que um dos donos do estabelecimento, insinuava-se com furtivos olhares. Sem demora, vieram furtivos toques de mão. E tudo desbordou em uma ação por dano moral decorrente de “intolerável assédio sexual com requintes de tentativa de indução à prostituição”.  

Charge de Gerson Kauer

A jurisdição terceirizada

 

A jurisdição terceirizada

A proposta instigante de um conselheiro de uma das seccionais estaduais da OAB: comprovar, judicialmente, que a jurisdição é prestada basicamente por assessores e estagiários. É hora de fazer de conta que tudo é ficção.

Charge de Gerson Kauer

O Advogado Fura-Colchão

 

O Advogado Fura-Colchão

Doutor Arencéfalo é o apelido de um advogado muito conceituado. O cognome é uma conjunção de ´Arbelino´, nome do pai dele e ´Encéfalo´, parte do corpo humano que controla o organismo. De repente, a surpresa na comarca: a elegante esposa pede o divórcio. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.

Charge de Gerson Kauer

As duas Têmis

 

As duas Têmis

No curso preparatório a concursos para ingresso na magistratura, um dos professores resolve aferir os conhecimentos gerais e a capacidade redacional dos alunos. Então entrega a cada um uma folha de papel A-4. Pede-lhes que ”escrevam de 20 a 30 linhas sobre Têmis”. Um dos discípulos sustenta e comprova a existência de uma divindade grega e de uma personagem terrena que não gostava de processos.