Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), terça-feira, 11 de agosto de 2020. Dia do Advogado.
https://marcoadvogado.com.br/images/123ver.jpg

As semelhanças e as diferenças entre as liminares concedidas por Rogério Favreto e Marco Aurélio Mello



Renan Barbosa - Charge de A Gazeta do Povo (Curitiba)

Imagem da Matéria

Semelhanças e diferenças

- “O que há de semelhante entre Rogério Favreto e Marco Aurélio Mello?” – pergunta uma voz, na terça (19), quase noite, nos corredores da OAB gaúcha.

- “A semelhança, entre ambos, é a ferrenha convicção política partidária da necessidade de soltura do ex-presidente Lula” – responde o segundo integrante da roda.

- “E a diferença?” – pergunta um dirigente que se acerca.

Os dois primeiros coincidem na resposta uníssona:

-  A novela da lambança, escrita por Favreto, durou um domingo quase inteiro, teve vários personagens gaúchos e paranaenses e envolveu até gente que estava em férias. E teve um fim pifado.  Já o breve enredo de glória rascunhado por Marco Aurélio morreu cinco horas e meia depois num canetaço de Dias Toffoli.

Não há controvérsias. E só volta a se falar nisso depois do recesso.

Ironias do destino


Os meandros jurídicos têm dessas coisas. Coube justo a Dias Toffoli - amigo querido de Lula, que o fez famoso – manter o ex-presidente da República recluso em Curitiba, no Natal, Ano Novo, restante do verão e início do outono.

O fundamento jurídico do presidente do STF foi o de “evitar grave lesão à ordem e à segurança públicas”.

O quadro institucional fica assim pelo menos até 10 de abril. Em tal data, o Plenário do STF volta a debater o julgamento após a prisão de segunda instância.

Ciúme entre os “astros”


“Marco Aurélio mandou soltar todo o mundo e Gilmar ficou arrasado de ciúmes”.

(Da “rádio-corredor” do Conselho Federal da OAB-RS, quarta-feira (19), às 17h., antes de Dias Toffoli ter acabado com a zorra).

 Agilidade em vão

Os defensores de Lula foram pródigos em agilidade. Passavam apenas 45 minutos desde o momento (14h03) em que o ministro Marco Aurélio surpreendeu a nação com a notícia da liminar - para que um pedido em prol do ex-presidente da República fosse protocolado na 12ª Vara Federal Criminal de Curitiba às 14h48 de quarta-feira (19).

Ao cabo de dez laudas de peroração jurídica, a petição dos advogados de Lula solicitava a expedição imediata do alvará de soltura do preso mais famoso deste país.

A juíza Carolina Lebbos, responsável pela execução penal, logo passou adiante a “batata quente”.

Despachou com “vista ao Ministério Público Federal”. Ficou fácil aos procuradores federais rebater.

Em tempo (1) – A perguntinha de fim-de-semana: “Quem tem título ´Campeão da FIFA´ tem direito a cela especial?"

Em tempo (2) – O Espaço Vital entra em férias coletivas na próxima segunda-feira (24). Nosso reencontro, aqui, com os leitores será na primeira terça-feira de fevereiro. Exatamente dia 5. Até lá!


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Getty Images G

Na Justiça do RS a primeira ação vultosa por morte pelo coronavírus

 

Na Justiça do RS a primeira ação vultosa por morte pelo coronavírus

  Está na 30ª Vara do Trabalho de Porto Alegre a ação do espólio de uma auxiliar de enfermagem do Hospital Conceição. A pedida é de R$ 2,8 milhões.

  Projeto de lei institui pensão complementar aos dependentes de profissionais de saúde que, no exercício de suas atividades, falecerem vítimas do Covid-19.

  “A Estrela Roubada”: o advogado Roberto Siegmann dá os retoques finais no livro que vai esquadrinhar uma milionária operação de marketing envolvendo Corinthians, Rede Globo, CBF e STJD.

  Em tempos de isolamento, o velho e bom quebra-cabeça, os jogos de tabuleiro e as cartas eletrônicas do “Paciência” voltam à moda e batem recordes.

Arte EV sobre foto Visual Hunt

Excentricidades judiciais durante a pandemia

 

Excentricidades judiciais durante a pandemia

• Estresse durante a quarentena: um tapete úmido que se transformou em instrumento de agressão contra uma vizinha.

• Uma ação cível - ajuizada por uma estudante de Direito e com a participação de três advogados - em nome de 23 gatos, contra duas construtoras em Salvador (BA).

• O ataque dos ratos à vizinhança, depois que os felídeos foram levados embora.

• A sentença que extinguiu a ação: “Não se poderá admitir que tais animais ostentem capacidade processual”.

Ramiro Furquim / Visual Hunt / Edição EV / Imagem meramente ilustrativa

Negado habeas corpus para que advogado-surfista tenha passe livre para as ondas

 

Negado habeas corpus para que advogado-surfista tenha passe livre para as ondas

• Praticante de surfboard queria autorização para acesso às águas do mar catarinense entre 5h50 e 9h.

• Celso de Mello volta à atividade jurisdicional do STF. Mas só à distância.

• Negada liberdade provisória para detento condenado a 1.128 anos de prisão. Foram 61 crimes.

• Competência da Justiça do Trabalho para julgar eventual vínculo de ensino à distância.

Arte EV sobre imagem do Google

   Juiz extingue ação ajuizada por advogado para obrigar a Azul a reiniciar operações em Chapecó (SC)

 

Juiz extingue ação ajuizada por advogado para obrigar a Azul a reiniciar operações em Chapecó (SC)

 A empresa cancelou todos os seus voos ali, alegando ser decorrência da pandemia.

 Cuidado com golpes sobre precatórios que o TRT-4 estaria antecipando.

 Vinte dias depois de chegar ao Instagram, Sérgio Moro já tem 1 milhão de seguidores.

• Vem aí, em português, o livro sobre a Grande Gripe.

 Você sabia que o Brasil já teve um Presidente da República eleito que não assumiu (em 1919) porque foi vitimado pela gripe espanhola?

 2020 em casa: aumentam as buscas por chinelos e pijamas.