Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 14 de junho de 2019.
https://marcoadvogado.com.br/images/mab_123_17.jpg

Montões de dinheiro para dois magistrados



  Cartorários felizardos

Dados do Imposto de Renda Pessoa Física, recém saídos dos computadores da Receita Federal, mostram que, das dez profissões mais bem pagas, sete são ligadas ao serviço público. Quase todas as ocupações são ligadas à área jurídica.

Os mais bem remunerados são os titulares de cartórios em geral – com a renda média mensal de R$ 108 mil. Nesse universo há receitas de cerca de R$ 1 milhão mensais. E a média nacional termina “caindo” para a faixa dos R$ 100/110 mil em função de cartórios menos rendosos, notadamente em cidades pequenas.

Os dados acima são da FGV Social.

 Montões de dinheiro

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais pagou ao juiz Paulo Antônio de Carvalho R$ 762 mil na folha de abril, sendo R$ 725 mil a título de “remuneração eventual”.

Outra juíza, Adriani Freire Diniz Garcia, recebeu R$ 377.465,12. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Segundo nota do TJ-MG – convidado a um contraponto – “os valores referem-se a ´férias-prêmio´ e outros benefícios acumulados ao longo da carreira”.

Sobre o juiz Paulo Carvalho, o tribunal mineiro diz que “ele recusou promoções para não abandonar a Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (Apac), que criou”.

 Negócios à parte

Uma mulher - que teve a conta poupança, a conta salário e as aplicações financeiras bloqueadas por dívidas trabalhistas do marido - conseguiu a liberação do dinheiro.

A determinação é do TST, que retirou integralmente a penhora ao considerar que, “além de inusitado, o bloqueio representou ilegalidade, uma vez que os valores apreendidos eram fruto do trabalho da cônjuge mulher e não do marido executado”.

O caso é do Piauí e abre precedente nacional. (Proc. nº 80085-43.2017.5.22.0000).

 OAB contra o pacote anticrime

O Conselho Federal da OAB entregou a Rodrigo Maia um estudo que manifesta “expressa oposição” aos principais pontos do pacote anticrime de Sergio Moro propostos para vencer a impunidade.

A entidade atende a interesse dos advogados criminalistas e realça os principais princípios do garantismo penal. Entre estes, a contrariedade à prisão em segunda instância e à prisão em primeira instância por homicídios dolosos após condenação pelo Tribunal do Júri.

O CF-OAB também se manifestou contra:

1) A restrição dos embargos infringentes (recursos na própria segunda instância);

2) A ampliação do conceito de legítima defesa por policiais;

3) A restrição das hipóteses de prescrição;

4) O endurecimento de regras para progressão de regime;

5) Pena maior para o crime de resistência;

6) Criação do confisco alargado);

7) Acordo penal (confissão do crime para evitar processo);

8) Gravação de conversa entre advogado e cliente preso.

Em relação a todos esses pontos, a OAB diz que houve “unanimidade das críticas dos pareceristas e associações que aportaram seus estudos, com indicação praticamente consensual pela rejeição das propostas”.

A Ordem esqueceu de ouvir vozes que defendam a sociedade.

 Atrasos nas entregas de obras

O STJ fixou duas teses sobre construtoras que atrasam entregas de obras. A corte analisou se uma construtora pode ser punida, ao mesmo tempo, com cláusula penal e indenização por lucros cessantes, quando há atraso na entrega de um imóvel.

Além disso, foi debatido se a cláusula penal estipulada somente para punir o consumidor, em caso de inadimplência, pode ser invertida em desfavor da construtora, mas pelo atraso na entrega.

Tema nº 970 – “A cláusula penal moratória tem a finalidade de indenizar pelo adimplemento tardio da obrigação, e, em regra, estabelecida em valor equivalente ao locativo, afasta-se sua cumulação com lucros cessantes”.

Tema nº 971“No contrato de adesão firmado entre o comprador e a construtora/incorporadora, havendo previsão de cláusula penal apenas para o inadimplemento do adquirente, deverá ela ser considerada para a fixação da indenização pelo inadimplemento do vendedor. As obrigações heterogêneas (obrigações de fazer e de dar) serão convertidas em dinheiro, por arbitramento judicial”. (REsps nºs 1.498.484, 1.635.428. 1.614.721 e 1.631.485).

  Nono mandamento

Lembra daquele preceito que Não cobiçarás a mulher do próximo”?

Pois o juiz José de Souza Brandão Netto, da comarca Cícero Dantas (BA), encaminhou ao procurador-geral de Justiça do Estado da Bahia, cópia integral de processo que trata do envio – por um homem - de foto do seu pênis ereto para o celular de uma mulher casada. A remessa foi acompanhada por dizeres pornográficos.

A destinatária registrou ocorrência policial. O autor do fato não compareceu à audiência preliminar em Juízo, sendo os autos enviados ao promotor local.

Este argumentou que “o fato ocorrido não se enquadra na descrição do tipo penal do art. 233 do CP, sendo mais adequado aos crimes contra honra, passíveis de ação penal privada – com o que, portanto, já ocorreu o instituto da decadência, motivo pelo qual pugna-se pela extinção da punibilidade”.

O magistrado, contudo, concluiu que a descrição fática se enquadra, em tese, na contravenção penal prevista no art. 65 do Decreto-lei nº 3.688/41. Este prevê pena por "molestar alguém ou perturbar-lhe a tranquilidade, por acinte ou por motivo reprovável". Segundo a decisão, “o enviar de foto de seu pênis para uma mulher casada, sem o consentimento dela, e após a reclamação desta continuar a fazer insinuações jocosas, merece análise pelo procurador-geral de justiça”. (Proc. nº 0002172-30.2017.8.05.0057).


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Cartunista Walmir Orlandeli

   Condenação da Gol (R$ 1,2 milhões) por afronta a passageiros

 

Condenação da Gol (R$ 1,2 milhões) por afronta a passageiros

 Ação civil pública ajuizada pela Andep favorece 27 passageiros prejudicados pela empresa aérea em Curitiba, Buenos Aires, Montevidéu e Fernando de Noronha. Há trânsito em julgado e a empresa já pagou. Tramitação processual de dez anos e 41 recursos chegou a ter o oferecimento de uma carta de fiança falsa.

 O que Eduardo Cunha pode ter aprendido ao ler o livro “O Príncipe”, de Maquiavel.

 Um bode jurídico e a perda de sêmens de caprinos, na pauta da 6ª Câmara Cível do TJRS.

Arte EV sobre foto de Paul Nelhams

O avião enganoso e o julgamento enganado

 

O avião enganoso e o julgamento enganado

  Arquiteta porto-alegrense, ludibriada pela TAP Air Portugal, ganha indenização moral de R$ 1.500! Juiz leigo e juíza togada levaram em consideração “a condição da vítima e da empresa ofensora”...

 Corregedoria-Geral da Justiça do RS publica provimento que modifica as regras de registro de nascituros com “anomalia de diferenciação sexual”.

  Treze contratos publicitários sofrerão o “efeito ressaca” da atuação de Neymar no hotel parisiense.

 Duas chapas concorrem às eleições de dezembro no TJRS

Procedência de ação rescisória porque recurso foi decidido por desembargador impedido

 O advogado da multinacional reclamada era filho do magistrado-relator. Ele negou provimento a recurso ordinário em ação trabalhista que desacolheu pedidos de trabalhador

• Desembargador Thompson Flores passará a integrar a 8ª Turma do TRF-4 que julga recursos da Lava-Jato.

• Tartaruga suprema: julgamento pelo STF de ação direta de inconstitucionalidade que tramita há 24 anos.

 A moeda da Venezuela vai terminar como “pobre bolívar”?

• Passou a fase da prosperidade dos escritórios de advocacia que defendem os enrolados com a corrupção.

Arte de Camila Adamoli sobre imagem do TCU

   A tecnologia no controle das licitações

 

A tecnologia no controle das licitações

 Alice, Sofia e Monica: as três robôs que auxiliam o trabalho do Tribunal de Contas da União. Saiba por que elas têm esses nomes.

 A recuperação judicial da Atvos: débitos de R$ 11 bilhões e 900 milhões.

 BNDES, Banco do Brasil e Caixa Federal: as “mães” da Odebrecht.

 Mais dois deputados federais - que não se reelegeram em outubro - garantiram aposentadoria na Câmara. Um deles é gaúcho.

 A Braskem começa a devolver R$ 2,87 bilhões para a União.

Advogado condenado criminalmente pelo TJRS escapa no julgamento ético da OAB gaúcha

 

Advogado condenado criminalmente pelo TJRS escapa no julgamento ético da OAB gaúcha

  Denunciado por corrupção ativa e lavagem de dinheiro, o profissional da advocacia teve também desencadeado contra si, em 2012, processo ético-disciplinar. Mas – surpresa!... – prescreveu.

  Cultura geral: um alerta para que o príncipe Hamlet perceba a situação de perigo em que se encontra, principalmente por ações causadas por pessoas próximas a ele.

  Esposa de conselheiro cassado do Tribunal de Contas receberá aposentadoria de R$ 35 mil pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

  Casas Bahia e Ponto Frio pagam R$ 4,5 milhões para colocar fim a duas ações trabalhistas.

  Leilões de patrimônio da bandidagem: 33 embarcações, 12 aeronaves, 300 joias, 6.708 veículos, 9.679 eletrônicos.

  A paciência do Bradesco que está ajudando a Odebrecht.

Caricatura de Carlinhos Müller - https://www.carlinhosmuller.com/

“Eduardo Cunha, cupim da República”

 

“Eduardo Cunha, cupim da República”

  TJ do Rio de Janeiro considera que as “críticas foram ácidas e contundentes”, mas julga improcedente ação, por dano moral, do notório ex-deputado contra O Globo.

  Ficção: eficiência das tartarugas gaúchas em visita estratégica sobre processo que já dura seis anos e meio de idas, vindas e voltas...

  Juiz dos EUA é suspenso por seis meses - sem remuneração - por criticar Trump.

  STJ decide hoje se condôminos inadimplentes podem usar piscinas, churrasqueiras etc.