Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 19 de setembro de 2019.

Dentadura macabra



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Por Carlos Alberto Bencke, advogado (OAB-RS nº 7.968)

Os irmãos – filhos de um conhecido comerciante, famoso por seu bigode à portuguesa – divergiam à beira do leito de morte do pai. É que o médico havia decretado: “O pai de vocês não passa de amanhã”.

Um dos filhos queria comprar já o caixão para, seguindo os ensinamentos paternos, pechinchar e conseguir melhor preço. O outro, esperançoso, não queria agourar o também supersticioso pai.

Pois o moribundo passou o dia posterior, o outro, mais uma semana e o médico resolveu dar alta ao paciente.

Antes de ser levado de volta à residência, o idoso pediu a dentadura completa que deixara sobre a mesinha de cabeceira que separava os dois leitos do quarto coletivo do hospital. Não foi encontrada. Procura daqui, procura dali, a enfermagem informou que, na véspera, falecera o vizinho do leito, “tendo a viúva levado uma dentadura que seria do defunto, para colocar nele”.

Duas semanas depois, o sumiço dentário virou caso no Juizado Especial da comarca. O idoso e os filhos eram autores de uma insólita ação contra o hospital e a família do morto: cobravam dos réus, solidariamente, o valor da dentadura e uma reparação por danos morais.

O alquebrado juiz - recusante de promoção porque se habituara àquela vidinha interiorana fórum-casa-fórum – abriu a audiência com cara de poucos amigos:

- Qual é o problema aqui?

- Enquanto eu estava pra ir desta vida, a família do falecido levou minha dentadura completa. Não tenho dinheiro para comprar outra – respondeu o idoso senhor.

- O que a família aqui representada tem a dizer? – perguntou o magistrado.

O advogado, filho do falecido, se puxou na explicação:

- A subtração de objeto, pensando ser seu, por erro quanto à coisa, é excludente de crime e de indenização cível quando comprovados o erro e a boa-fé, e devolvido o objeto.

E, empertigado, tirou da pasta um pote de vidro contendo – imersa em álcool - a dentadura controvertida:

- Senhor juiz, a subtração por engano ocorreu num momento de dor para a nossa família. Mas, reparando o equívoco, fomos ao cemitério buscar o objeto para devolvê-lo ao senhor aqui presente.

O juiz encerrou a audiência. Conta-se que o autor teria voltado a usar a dentadura macabra, porque - sovina como ele só - todos na comarca duvidam que ele tenha adquirido uma outra nova.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

A ímpia e injusta guerra...

 

A ímpia e injusta guerra...

A propósito da Semana Farroupilha, a bazófia a que foram submetidos um porto-alegrense e sua esposa, por ocasião de um churrasco no Country Club, para homenagear empresários dos EUA que queriam expandir a venda de produtos fumígenos no RS. Quase virou ação indenizatória por dano moral à moda gaúcha.

Charge de Gerson Kauer

Um caso gaúcho para o Livro Guinness dos Recordes

 

Um caso gaúcho para o Livro Guinness dos Recordes

Pedro e Paula eram jovens ainda – respectivamente 24 e 22 de idade – quando casaram, dez anos atrás. Eles levaram à frente seu matrimônio, sem filhos, durante mais de dez anos de muitas alegrias, poucas tristezas, mas lento declínio da temperatura conjugal. Em janeiro de 2019 a extrema surpresa: um inimaginável triângulo.

Charge de Gerson Kauer

A comarca das vacas

 

A comarca das vacas

O juiz recém nomeado estava assumindo a comarca. Chegou na sexta-feira à tardinha, hospedou-se no melhor hotelzinho da cidade e preparou-se para, no dia seguinte (sábado) cedo, organizar as tarefas para a sua estreia, na segunda-feira. Não imaginava ter que enfrentar um “vacum”.

Charge de Gerson Kauer

Páginas da vida com segredo de justiça

 

Páginas da vida com segredo de justiça

O réu de uma ação penal por assalto é universitário, com matrícula trancada por falta de dinheiro para as mensalidades. Chegara a trabalhar como auxiliar contábil. Mas desempregou-se em decorrência do fechamento de uma indústria. A “primeira vez” dele como assaltante terminou sendo a redenção para que, dando a volta por cima, voltasse à faculdade e concluísse o curso de Direito.

Charge de Gerson Kauer

Para medir o tamanho ´daquilo´...

 

Para medir o tamanho ´daquilo´...

Treze de agosto de 2018, hoje está fazendo um ano. A frustração do consumidor que - após encomendar na internet, e pagar por um aparelho que o tornaria “um amante imbatível” - recebeu uma enorme e maldosa lupa. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.