Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira ,13 de dezembro de 2019.

Diálogos ríspidos ontem no Supremo



O julgamento, ontem (16) de uma ação contra resolução do Tribunal Superior Eleitoral que trata da prestação de contas partidárias provocou um desentendimento no STF. O ministro Alexandre de Moraes votava e era constantemente interrompido por Luís Roberto Barroso, que expunha um entendimento diferente. O presidente da Corte, Dias Toffoli, pediu então que Barroso “respeitasse os colegas”. Barroso respondeu dizendo que Toffoli estava “sendo deselegante”.

Na ação em julgamento, o PSB questionava resoluções do TSE que determinam a suspensão automática de órgãos estaduais e municipais dos partidos quando não há prestação de contas. Em sessão ocorrida há duas semanas, o relator, Gilmar Mendes, destacou a existência de uma lei que permite esse tipo de punição somente após decisão judicial na qual o partido tenha podido exercer o direito ao contraditório e à ampla defesa.

Nesta quarta-feira, Moraes foi na mesma linha, dizendo que “uma resolução do TSE, por melhor que seja, não pode se sobrepor à lei”. Segundo ele, cada uma deve ficar no "seu quadrado", ou seja, cabe ao Poder Legislativo, e não ao Judiciário, definir as regras.

Barroso reagiu: “Essa crença de que dinheiro público é dinheiro de ninguém é que atrasa o país”.

Moraes respondeu: “Essa crença de que o Supremo Tribunal Federal pode fazer o que bem entende, desrespeitando a legislação, também atrasa o país”.

Barroso devolveu: “Mas a Constituição diz expressamente que há o dever de prestar contas”.

O presidente da Corte, interveio: “Vossa Excelência respeite os colegas” - disse Toffoli para Barroso.

— “Eu sempre respeito os colegas. Eu estou emitindo minha opinião. Vossa Excelência está sendo deselegante com um colega que é respeitoso com todo mundo. Eu disse apenas que a Constituição impõe o dever de prestação de contas” - retrucou Barroso.

O julgamento acabou sendo interrompido por um pedido de vista do ministro Barroso. Não há previsão de quando será retomado.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Boca Maldita

Papai Noel chegou antes para a magistratura de Pernambuco

 

Papai Noel chegou antes para a magistratura de Pernambuco

Ho, ho! As contas no TJ de Pernambuco estão de vento em popa e clima natalino sacramentado. Juízes e desembargadores receberam rendimentos líquidos, relativos a novembro, que chegam até a R$ 853 mil. Os números brutos são ainda mais exorbitantes. A quantia paga a uma juíza de Recife foi de R$ 1.298.550,56.

Inácio do Canto – Secom/TRT-RS

Uma entrevista com a nova presidente do TRT-RS, sem toga

 

Uma entrevista com a nova presidente do TRT-RS, sem toga

Carmen Izabel Centena Gonzalez, 61 de idade, que toma posse hoje (13), falou ontem ao Espaço Vital. Contou sobre a Carmen cidadã. Referiu as prioridades de sua gestão. E analisou a Reforma Trabalhista: “Ela alterou mais de 100 dispositivos na CLT; não gerou empregos, até porque o que gera emprego é o crescimento econômico e não o barateamento da mão de obra”

Oposição vence por 76 x 56 as eleições para o TJRS

Nova administração que assume no dia 3 de fevereiro será formada pelos desembargadores Voltaire de Lima Moraes, Liselena Schifino Robles Ribeiro, Ícaro Carvalho de Bem Osório, Ney Wiedemann Neto e Vanderlei Teresinha Tremeia Kubiak.