Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), terça-feira, 11 de agosto de 2020. Dia do Advogado.
https://marcoadvogado.com.br/images/leitores.jpg

Solidariedade à advogada afrontada e críticas à trapalhada policial



Arte EV

Imagem da Matéria

Ø Sobre “Momentos de terror na minha residência”.

· “O mundo me apresentou colegas fantásticos, mas dentre alguns orgulho-me em nominar uma colega amiga, mais que uma irmã, que é a Dra. Anália Goreti da Silva. Colega de moral ilibada, parceira em inúmeros processos, zelosa pelo direito, mas primando sempre pela justiça. E aí se vão mais de 20 anos de amizade, convívio familiar e vizinhança também. Vamos gritar ao mundo: basta de atos traumatizantes e desproporcionais ao direito!”.
(ass.) Rejane Griesang Schenkel, advogada.

· “Goreti, nossa solidariedade por este crime bárbaro cometido contra a sua família. Espero que os responsáveis sejam punidos”.
(ass.) Graziela Terezinha Finger, engenheira.

· “Como leitor assíduo do Espaço Vital, gostaria que fossem fornecidas informações adicionais sobre a apuração de responsabilidade e punição do delegado Rafael Lopes. Parece-me que, como responsável pela diligência mal concatenada, o policial que chefiava a ´operação´ deverá ser penalizado pela estupidez cometida”.
(ass.) José Flavio Breno Fischer, tabelião.

· “Conheço essa querida e competente advogada! Não sei como reagir ao abuso e ao absurdo! Dra. Goreti, Deus te proteja, porque o Estado falhou totalmente”.
(ass.) Luciano Maria Gonçalves Fava, aposentado.

· “Expressar a minha solidariedade à Doutora Goreti é o que posso fazer neste momento. Nós vivemos no Estado mais racista da União. No Rio Grande as pessoas praticam crimes de racismo com a certeza da impunidade. Mas a situação vivida pela advogada e sua família extrapolou todos os parâmetros constitucionais, de civilidade, e respeito ao ser humano. Que as vítimas tomem as providencias legais”.
(ass.) Jorge Luiz Aguiar Dias, advogado.

Ø Sobre “A oportunidade que se abre com a virtualização de processos físicos”.

· “Concordo plenamente quanto à sugestão do Dr. Rafael Berthold, de que os advogados e advogadas possam digitalizar seus processos. Creio que todos ganham, principalmente no que se refere aos prazos, pois estamos praticamente parados desde setembro de 2019 em razão da greve dos servidores do Poder Judiciário”.
(ass.) Cláudio Gomes da Silva, advogado.

· “Acho que a ideia não é das piores. Considero que temos processos físicos em comarcas distantes de nossos domicílios, e a digitalização para fazê-los virtuais favorecerá muito o nosso trabalho. Estive vendo as regras do TJ-SP para tal mister, é um programa complicadíssimo, na verdade. Deveriam permitir que fosse feito como fazemos no escritorio. Digitalizado, seria levado em pendrive para o serventuário inserir no sistema”.
(ass.) Carlos Alberto Andrade, advogado.

· “Congratulo-me com o colega Berthold pelo artigo e compartilho integralmente de sua opinião. Não pretendo digitalizar muitos processos, pois teria uma enorme perda de tempo em razão da metodologia adotada. Além disso, os processos mais antigos deveriam ser priorizados e não excluídos. Junto-me ao articulista, para conclamar aos órgãos competentes, que seja facultada a digitalização de todos os processos que o advogado desejar, diretamente no sistema E-Proc.”.
(ass.) Jorge Lucimar Gonçalves Maciel, advogado

Ø Sobre “A Página da Jovem Advocacia - A digitalização dos processos físicos

· “A medida é um retrato fiel da defasagem do sistema de justiça, que há muito não entrega aos cidadãos brasileiros uma prestação jurisdicional eficaz. Desconheço frase mais bem posta e que retrate tão bem "nosso atual estágio", me atrevendo a acrescentar: ´massacrando a classe advocatícia´”.
(ass). Teresinha Grando Cavalcanti, advogada.

· “Eu optei por selecionar alguns processos do meu escritório - em que eu trabalho sozinha - e fiz a digitalização, mas para isso tive que investir num scanner mais moderno (prefiro pensar dessa forma - investimento). É bem trabalhoso não há dúvidas, mas os meus processos já foram distribuídos na minha comarca (Veranópolis), e já tiveram andamento. Então para mim, apesar de todo o trabalho que está sendo escanear, foi vantajoso!”
(ass). Katiane Romanini, advogada.

· “Impressiona a falta de consistência técnica do TJRS na implementação do processo eletrônico. Em novembro de 2011 o TJ de São Paulo implantou o sistema naquele Estado; desde então tudo passou a ser eletrônico; e os processos físicos continuariam até a extinção. No RS tudo é confuso. Até o E-Proc doado pelo TRF-4 está sendo desvirtuado. A questão é: quem recebeu e quanto foi pago pelo TJRS para esse fracasso?”
(ass). Antonio Pani Beiriz, advogado.

Ø Sobre “Reclamantes colorados”

· “História muito interessante e divertida. São as coisas agradáveis das audiências. Em Canoas, também na JT, um excelente juiz, muito pragmático e cioso das formalidades, sempre perguntava aos advogados das partes, preliminarmente, se confirmavam os seus endereços constantes dos autos. Uma colega, de excelente humor, invariavelmente indagava do magistrado: ´O senhor não quer o meu telefone de casa...?´ Ele ficava vermelho, mas não por que fosse colorado, mas gremistão ardoroso”.
(ass). Luiz Carlos Chuvas, advogado.

· “Muito Bom Dr. Roberto Siegmann! Excelente texto. Aliás, como sempre. Forte abraço,... sem boné".
(ass). Leonardo Joel Handler, advogado.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Imagem Screenshot meramente ilustrativa - Arte EV

A inércia de servidores durante o fechamento forense

 

A inércia de servidores durante o fechamento forense

 Um modo simples para garantir o andamento dos processos: colocar funcionários do TJRS para digitalizar autos físicos.

• Processos aguardando juntada de petições desde 20 de fevereiro (antes da pandemia).

 Elogios ao magistrado aposentado Osvaldo Peruffo e ao ex-escrivão Sérgio Araújo.

 Carga programada para a digitalização: “Os advogados vão fazer o trabalho do Judiciário, em troca de uma ilusória celeridade”.

 Participação dos leitores Henrique Júdice Magalhães, Simone Maria Serafini, Alberto Karoly, Leonardo Handler, Cicero Barcellos Ahrends, Maico Volkmer, Clovis Borba dos Santos, Marcelo Battirola, Francisco Antonio Fresina Neto, Paulo Américo de Andrade, Victor Marona, Rogers Trott, Carlos Alberto Dossena, Cleuson De Pariz Zippinotte e Virginia Keller.

Arte EV

Depois de movimentos... sem movimentos, afinal a sentença

 

Depois de movimentos... sem movimentos, afinal a sentença

· Advogados comentam o processo demorado que, afinal, teve decisão no Foro Regional do Alto Petrópolis.

· Outros assuntos: a) Elogios para a OAB-RS; b) Depois da pandemia; c) Os acertos do Escreva Direito; d) E-PROC é o melhor.

· Manifestações dos advogados Adival Antonio Rossato, Carlos Castagno, Eliakim Sefrim do Carmo, Juliano Luís Rodrigues, Marco Aurélio Coimbra e Regina Moraes Regius.

Ilustrações: Freepik - Edição/montagem: Gerson Kauer

Remeter R$ 8,5 milhões anuais para o CF-OAB, ou dar mais atenção aos jovens advogados gaúchos?

 

Remeter R$ 8,5 milhões anuais para o CF-OAB, ou dar mais atenção aos jovens advogados gaúchos?

 São 14 comentários - alguns sintetizados. Doze trazem críticas, elogios, sugestões e esperanças. Dois louvam a OAB-RS; um compara que médicos e engenheiros gostariam de ter uma entidade de alto padrão e coragem como ela.

  Aplausos para os dois advogados da cidade de Agudo (RS) autores do artigo “A suficiência ou a insuficiência da atenção da OAB-RS com os advogados”.

  Participação dos leitores Terezinha Grando Cavalcanti, Marcio Luiz La Porta, Adair Giacomo Baccin, Dorival Ipe, Maico Volkmer, José Ricardo Montagna, Róberson Azambuja, Pietro Gomes Ruperti, Vilson Ademir Nienow, Marcelo Vilani, Gerson Luis Kreismann, Rogério Signor, Pedro de Angeli e Julio Viana.

Imagem meramente ilustrativa - Foto Visual Hunt - Edição EV

Controvérsias sobre o cafezinho gratuito (ou embutido nas anuidades) nas salas da OAB-RS

 

Controvérsias sobre o cafezinho gratuito (ou embutido nas anuidades) nas salas da OAB-RS

•  Advogada diz que, ante o aperto financeiro, está se preparando para fazer malabares junto aos semáforos.

•  Críticas ao Conselho Federal da Ordem, grande arrecadador de anuidades.

• Coisas curiosas na decisão de arquivamento do caso da juíza que se negou a fazer o teste do etilômetro.

• Dona Rosa” e o processo sigiloso do ano.

•  Já era hora de dar um basta na suspensão dos advogados inadimplentes.

•  Manifestações dos advogados Simone Maria Serafini, Fabio Scherer de Moura, Marcelo Vilani, Peter Andersen Cavalcanti, Vera Maria Vargas Ferreira, Antonio Rafael Viezzer, Heloísa Barbagli, Teresinha Grando Cavalcanti, Juliano Tonello, Cícero Barcelos Ahrends, Jorge Kebach, Gilberto Guimarães, Eliel Karkles e Milton Porto.

•  Participação, também, de um contador, um médico, um agente de viagens, um frentista e um autônomo.

Reprodução de www.oab.org.br em 06.3.2020, às 8h30

CF-OAB oficialmente só publica o quanto arrecadou até setembro do ano passado

 

CF-OAB oficialmente só publica o quanto arrecadou até setembro do ano passado

 Já estamos no terceiro mês de 2020 e as contas oficiais publicadas estão com cinco meses de atraso.

• Opiniões de advogados sobre as comparações entre OAB (Brasil) e ABA (EUA).

 Leia o que dizem os advogados Léo Ricardo Petry, Taciana Martins Faria Neves, Eduardo Dorfman Aranovich, Simone Maria Serafini e o bacharel Nelson Carmo Pedro Gonzaga.

Arte EV

Os R$ 8,5 milhões da advocacia gaúcha que vão anualmente para o CF-OAB

 

Os R$ 8,5 milhões da advocacia gaúcha que vão anualmente para o CF-OAB

 Advogado Roberson Azambuja deplora que esse dinheiro é retirado de jovens profissionais da advocacia.

 Contador Peter H. Grunewald se diz impressionado com a vazão da dinheirama.

 Advogado Fernando Maciel Ramos diz que os colegas devem se negar a prestar serviços como dativos.

 Advogado Cicero Barcellos Ahrends elogia a 8ª Câmara Cível do TJRS.

 Advogados Jarbas Manoel da Silva e Luiz Carlos Kremer comentam sobre terrenos da União à beira-mar.